momento de viagem

sensações, emoções e imagens por aí!

O sol de Recife

Deixe um comentário

FullSizeRenderFullSizeRender_1 FullSizeRender_2

Estou de férias na Escola e meti-me na promessa de ler um livro enquanto o tempo parece ser mais livre do que antes.
Miguel de Sousa Tavares foi o escolhido. Estou a adorar ler sobre os vários lugares que ele visitou, e perceber que não sou a única a gostar de escrever os meus pensamentos e as minhas experiências. Transcrevo aqui uma das milhentas frases que me cativaram. Aliás, vai precisamente ao encontro de uma conversa que tive no pequeno almoço deste meu destino, Recife:

“Escrever não é falar. (…) É exactamente o oposto. Escrever é usar as palavras que se guardaram: se tu falares demais, já não escreves porque não te resta nada para dizer.”

Esta afirmação é muito importante para alguém como eu, já que, quem bem me conhece, sabe que eu antes falava mais do que hoje. A verdade é que antes não escrevia tanto. Falava pelos cotovelos e contava tudo a todos, talvez até fosse chata, e ocupava mais tempo a falar do que a meditar. O que escrevia também não era tão digno de ser exposto, apesar de me sentir bem escrevendo-o.

Hoje penso mais antes de falar e continuo a sentir-me mais capaz de falar por escrito do que oralmente, no que toca a emoções e sentimentos principalmente. Isso não é uma vantagem de todo, mas é uma característica minha, há que tentar trabalhá-la e, já agora, aproveitar a escrita!

E posto isto, finalmente dediquei um dia para apanhar sol no Recife, Brasil. É triste, eu sei. Não saí do hotel. Mas por outro lado, consegui o que queria: aquecer bem o meu corpo com o sol. Senti algumas gotas de suor escorrerem pela minha pele, a minha cor a alourar, os pés quentes e os lábios secando. Protegi-me bem, e por isso trago poucas marcas desse tórrido dia no Recife. Mas que bem me soube, foi tão doce e quente!

E são poucas as marcas, mas marco o dia com três imagens marcantes: a cor da minha pele (parace básico, mas não é de todo); o meu gosto por fotografia, a tentativa de fazer algo diferente, de olhar através de outro ponto de vista; e a sombra, a sombra que nos ensombra de quando em vez nas nossas vidas, e que parece assombrar as praias de Recife todos os dias!

Anúncios

Autor: marimaricleta

A Marimaricleta vive entre o céu e a terra. Faz e desfaz malas quase todos os dias. Um dia decidiu escrever umas dicas para viver momentos fora de casa. Geralmente falamos de coisas óbvias e acessíveis a todos, quando viajamos. Lemos guias turísticos, vemos mapas, queremos ir onde todos falam que foram. O segredo das viagens são os momentos, as sensações, o que fica dentro de nós quando voltamos a casa. E são alguns desses momentos que descrevo aqui, para vos incentivar a viver os momentos, a enriquecer a alma, para além do olhar! deniselaranja@gmail.com

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s