momento de viagem

sensações, emoções e imagens por aí!

O passageiro de Estocolmo

Deixe um comentário

O passageiro de Estocolmo… A neve espera-o, o frio e o gelo também. Porque nos fascina tanto ver um loiro, só porque é diferente? Porque nos fascina o contraste? Oh… Um loiro tão giro! Uau, adorava conhecer uma loira! Que bébé tão lindo, o cabelo dele é branco e os olhos azuis!

E porque vão todos eles conhecer o calor do Brasil quando na sua terra os pinheiros nórdicos se salpicam de neve? No fundo, andamos sempre à procura do novo, da diferença, do contraste. Pelo menos nós, os que viajamos… É um gosto, é um estilo de vida, é um vício.

Óculos redondos e pequenos, com uma armação indiscreta; tatuagens que pintam todas as costas, ombros e peito; cabelo loiríssimo, quase branco; roupas arrojadas em senhoras não muito novas; transportadores de bébés nas costas do pai, e o bébé dormindo encostado no seu ombro; muito vinho; pés descalços e calças rasgadas; piercings; muito civismo e organização. Simpatia, educação nórdica. E claro, um casal em que ele é nórdico e ela brasileira.

Enquanto eles comem e bebem (vinho,claro), consigo recuperar a minha curiosidade de aprender mais, de conhecer mais: encontro vários suecos jogando um jogo com o mapa mundo. Lembro-me do meu puzzle “mapa mundo”, lembro-me que há tantos lugares de que não me lembro, porque não conheço. Lembro-me que não conheço Estocolmo, que de cada vez que dou um passo fora do avião numa manga de aeroporto que nunca percorri, tenho curiosidade. Que a neve é linda de se ver e visitar, mas que o nosso cantinho é lindo para viver. Ou não!

Aos suecos: um bom regresso à neve; e para os que viajaram em sentido contrário, boas entradas em 2013, no Funchal, no Brasil, no Algarve, no Sal, no calor… E que o calor humano, aquele que sentimos sempre que estamos dentro de um avião cheio, nos persiga para sempre!

Anúncios

Autor: marimaricleta

A Marimaricleta vive entre o céu e a terra. Faz e desfaz malas quase todos os dias. Um dia decidiu escrever umas dicas para viver momentos fora de casa. Geralmente falamos de coisas óbvias e acessíveis a todos, quando viajamos. Lemos guias turísticos, vemos mapas, queremos ir onde todos falam que foram. O segredo das viagens são os momentos, as sensações, o que fica dentro de nós quando voltamos a casa. E são alguns desses momentos que descrevo aqui, para vos incentivar a viver os momentos, a enriquecer a alma, para além do olhar! deniselaranja@gmail.com

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s